Como usar cartões de crédito e não lamentar

Como usar cartões de crédito inteligentemente?

Poucos produtos financeiros tem tanta simpatia de seus usuários como o cartão de crédito. É fácil de usar, prático, proporciona liquidez adicional, permite a pagar por um hotel ou passagem aérea e permite pagar a dívida no prazo, sem necessidade de suportar o custo dos juros. Em outras palavras - uma vantagem pura. é ai que se acende a luz vermelha: se algo é bom demais para ser verdade, não é verdade.

Com cartões de crédito é muito mais difícil determinar o seu efeito pernicioso sobre nossas finanças - a maioria das pessoas são tão apegados a eles que não podem imaginar a vida sem „plastico”. Mesmo com vários cartões na carteira à idéia de se livrar de apenas um causa uma reação alérgica. Cancelar o cartão de crédito? Nunca! Por que os cartões de crédito tem esse fator viciante?

Teste o seu "amor" para um cartão de crédito.

Gostaria de encorajar vocês a uma pequena experiência: Examine o seu relacionamento com o seu cartão de crédito. Seria muito bem saber se esta é uma "neutralidade favorável" ou um "amor cego”.

1) Eu não pago os juros, por isso não tenho dívida nenhuma

Este é um argumento muito comum, mas é apenas meia verdade. "Eu não pago os juros" - isso mesmo, se você transferir dinheiro para a conta do cartão na hora, você não paga os juros. "Eu não tenho nenhuma dívida" - infelizmente, é falso.

Dinheiro no cartão de crédito não pertence a você. Então você tem dívida, exceto que você não paga juros sobre essa dívida. Até um ponto. Se você fica atrasado, não recebe remuneração para o tempo ou o dinheiro será necessário para algo mais importante do que um pagamento de cartão, você vai pagar juros - juros muito elevados.

Confira mais uma coisa: o que acontece com o seu salário depois de chegar na conta? Talvez será que você tem que gastar uma parte substancial para pagar pelas cartões de crédito? Se for assim, pense de novo: você está em dívida ou não? Monte de gente, com uma enorme surpresa, afirmou que eles estão em dívida. O valor de limite utilizado no cartão estava crescendo de mês para mês e, eventualmente, quase totalidade do pagamento é alocado para pagar o cartão. E viver para o resto do mês? É simples assim: pagar com o cartão usando o novo limite…

E agora é hora para a primeira parte do nosso teste:

Pague pelo cartão, colocá-lo fora por três meses até a gaveta e veja se o seu orçamento familiar fecha-se sem problemas.

Não? - Você tem um problema, seria e a hora de tomar medidas drásticas, antes de se meter em encrencas financeiras.

Sim? - Tudo bem - este é o mais importante.

2) Em muitos casos, cartões de crédito são obrigatórios para pagamento de bens e produtos

Parece que esta declaração faz sentido, na prática, no entanto, às vezes o suficiente é simplesmente pedir para pagar com um cartão de débito ou com dinheiro. Além disso, essa última maneira de pagar pelas compras é realmente recomendável. De acordo com as conclusões de psicólogos, usando o cartão durante uma visita à loja pagamos mais do que pagamos em dinheiro. Isto é devido à "dor física" e ao sentimento de perda que sentimos no momento da conversão de notas e colocá-los nas mãos do vendedor. E os pagamentos com cartão? Nem sequer anotamos a transação. Não importa se a gente paga 5 ou 5 5000 reais É claro que a mesma regra se aplica também aos cartões de débito.

Agora um teste. Ta usando um cartão de crédito só porque é necessário em situações determinadas? Agora, da olhada na declaração de cartão, hmm?

3) Usar um cartão de crédito não me custa nada

Ok, isso é possível. Como medida de precaução, no entanto, faca duas coisas. Em primeiro lugar, confire se o seu cartão está ligado a qualquer seguro. Muitas vezes os cartões de crédito oferecem uma gama de serviços adicionais - nenhum deles de graça. Às vezes os cartões estão ligados com seguro de transferências (isto pode ser útil), seguro de saúde, de vida, etc. Pergunta-se - você realmente precisa deste seguro? Você pode verificar isso mesmo respondendo a uma pergunta simples: compraria este seguro se ele estiver disponível sem este cartão?

Em segundo lugar, o que é o custo real para o uso do cartão? Ter cartão livre de custos é muitas vezes relacionado a necessidade de fazer transações em uma quantidade mínima, por exemplo 2000 por mês. Pense nisso, se você nunca comprar algo que não foi especificamente necessário só porque queria ultrapassar o limite de gastos necessários para não pagar uma taxa do cartão? Isto, também, é o custo. Talvez não chamada "taxa do cartão", mas é o dinheiro que fugi da sua carteira.

Como foi o seu „teste do amor para cartão"? Você não tem dívida, está usando-o apenas quando é necessário e não há custos ocultos? Ou talvez a sua verdadeira relação com o cartão é mais forte?

Como viver com os cartões?

Há muitos outros argumentos utilizados na comercialização de cartões de crédito: coletar pontos de promoção, acesso aos descontos em lojas selecionadas, e, no caso de cartões de ouro, platina ou preto - o prestígio (Olham para o quanto dinheiro eu poderia pedir do meu banco!).

Mas eles não são tão bons, por que os mesmos bancos que oferecem "dinheiro grátis" também oferecem empréstimos para pagar a divida  dos cartões de crédito (Desdobre a dívida em parcelas e desfrutar de maior liberdade!)?

Nos EUA o consumidor médio tem uma media de 4,4 cartões de crédito, e a facilidade com que podemos gastar o dinheiro emprestado faz que há um verdadeiro exército de pessoas cronicamente endividadas. Com certeza, cada um deles tomou a decisão de pedir um cartão de crédito planejado para evitar os custos com juros. Na prática, apenas 54% dos portadores de cartão fazem isso - o resto tem que pagar altas taxas de juros. Infelizmente, em alguns aspectos o Brasil está aproximando-se aos padrões dos EUA mais rapidamente do que teria desejado…

E qual é a sua opinião? Como usar de cartões de crédito inteligentemente? Talvez seria necessário de se livrar deles completamente?