dicas-basicas

É sua própria casa um bom investimento?

Este é um dos maiores sonhos de todos os brasileiros: ter um apartamento ou uma casa lindamente decorada, em uma excelente localização, para que estejamos confortáveis. Infelizmente, cada sonho tem um preço. Quanto na prática custa nos a casa própria e não é este um preço severamente elevado?

Este é um cenário clássico: terminar a educação, obter o primeiro emprego, cria uma família e nós assumimos um dilema fundamental: onde morar agora?

Opção 1: com os pais. Normalmente é uma receita para um desastre. As gerações diferentes com uma diferença de caráter em conjunto cria uma mistura explosiva. Nestas circunstâncias é que deve ter nascido uma anedota chauvinista, segundo a qual a culpa para o divórcio é sempre das ambas partes: da mulher e da sogra.

Opção 2: alugar um apartamento. Esta opção está ganhando popularidade, especialmente nas grandes cidades, com os preços dos imóveis elevados. Normalmente, no entanto, temos uma problema mental com o aluguel: pagar para o arrendador é tratado como um desperdício de dinheiro. Por isso, preferimos tomar um crédito por 30 anos, para ser "por conta própria".

Opção 3: comprar um apartamento próprio. Para a maioria das pessoas jovens uma escolha tão natural que nem por um momento não pensam diferentemente. Assim que começam a ganhar um pouco, eles imediatamente pensam sobre onde comprar, quando comprar e como decorar.

Na consciência comum, a própria acomodação é um bom investimento de capital, porque acreditamos que - mesmo comprando a crédito - provavelmente vamos pagar rapidamente e o apartamento logo será nosso. É melhor para morar "por conta própria" do que viver num apartamento de alguém - podemos decorar-lo de acordo com próprios sonhos e ninguém não irá interferir. Além disso, pensamos que os preços dos imóveis no longo prazo certamente vão aumentar, por isso um apartamento é um bom investimento. Bem, é realmente assim?

É importante tomar essa importante decisão com calma e consciência. O processo de compra de casa própria é a melhor prova de que as finanças pessoais são realmente muito pessoal. Em termos financeiros, para a maioria de nós, isso é um „investimento de vida”. Mas normalmente tomamos a decisão final com base em emoções. Infelizmente, para muitas pessoas, um tal abordagem pode ser uma fonte de problemas graves. Focados demais nas "belas paisagens, excelente posicionamento, interior aconchegante e localização prestigiosa”e esquecendo do bom senso e uma calculo, um apartamento pode tornar-se em um tormento real.

Não podemos esquecer que os custos associados com a compra de casa é muito mais do que podemos ver em oferta de engenharia. Estas são as despesas de registro (no Brasil, em comparação com outros países, ridiculamente altas!), as comissões de banco e os custos de mobiliário de interiores.

Tanto para o "obvio" que toda a gente leva em conta. No entanto, frequentemente esquece-se de todos os "custos de propriedade”:

- parcela do empréstimo

- seguro de crédito

- seguro de propriedade

- condomínio

- bombeiros

- IPTU

- utilidades: água,energia, gás, TV, etc.

- reparo e revisão geral (pintura, refresco do apartamento uma vez a cada 5 anos).

E também intermináveis cmpras de móveis, luminárias, toalhas de mesa, potes, imagens, talheres, pratos, eletrodomésticos, etc. Tudo isso em casos extremos, leva ao fato de que, inicialmente, um bom investimento, que é suposto ser o nosso apartamento, torna-se em um poço sem fundo.

Neste texto a questão não é para desencorajá-lo a alcançar seus sonhos - a sua própria casa tem muitas vantagens que não podem ser traduzidas em dinheiro. Mas, como se trata de um compromisso por um longo tempo, você precisa estar bem cientes de sua situação financeira e não permitir que os agentes imobiliários manipulam e explorar suas emoções sinceras. Por favor, lembre-se que, em termos financeiros, comparar um apartamento é uma decisão extremamente importante, com conseqüências tão grandes para toda a sua vida, que - independentemente de quaisquer emoções positivas - é obrigatório de fazer um estudo de mercado profundo e usar uma calculadora diligentemente.