O Relatório financeiro não é nada mais do que o saldo de nossos ganhos e despesas

Como preparar um relatório financeiro pessoal?

O "poder" de um relatorio financeiro é muito maior do que parece. Uma bem elaborada ficha financeira será o ponto de partida para desenvolver um plano de redução de custos e ganhar independência financeira. Além disso, ela permite responder às perguntas seguintes:

- Quanto realmente ganho?

- Quanto benefício estou recebendo das minhas poupanças?

- Quais são os meus custos fixos mensais?

- O que consome a maior parte do dinheiro?

- Quais são os meus custos irregulares?

- Quanto gasto no total durante um ano?

- Quanto eu poderia economizar / investir cada mês?

- Quanto dinheiro estou pedindo em uma forma determinada?

Seu GPS financeiro

Uma pessoa responsável entende que deve estar preparada para lidar com a realidade mesmo em situações difíceis. Portanto, em contraste com os animais que não podem adiar a gratificação no momento, nós aprendemos a projetar margem de segurança - por isto poupamos dinheiro, temos calendários e usamos Internet para obter informação. A maioria dos problemas não se resolvem sozinhos, temos de resolvê-los. Mas primeiro temos que saber onde estamos, o que é a nossa situação e que tipo de "armas" temos. O plano de ação deve ser sempre adaptado às nossas realidades.

Também no mundo das finanças é difícil planejar alguma coisa sem um "inventário" decente. É como o GPS, mesmo que você saiba o endereço de destino, se não houver conexão com o satélite GPS e não ver a localização atual, não recebemos as instruções de direção. O relatório financeiro é a nossa "localização financeira”.

Quanto eu ganho e de onde tiro dinheiro no bolso?

O Relatório financeiro não é nada mais do que o saldo de nossos ganhos e despesas. Enquanto a renda é muito mais fácil para identificar (geralmente chega diretamente na sua conta bancária), os custos são mais difíceis para captar. Não se preocupe com isso, no entanto, e apenas tente encontrar o maior número deles.

Ganhos que você recebe a cada mês, podem ser em particulares:

- O seu salário - digite o valor líquido dos salários, ou tanto quanto realmente entrar na sua conta. Estes são os fundos que você realmente têm.

- Ganhos adicionais - os contratos adicionais, etc.

- Taxas de aluguel dos apartamentos

- A taxa de juros sobre os depósitos bancários

- Os prêmios dos bancos, por exemplo o cashback

- As receitas da venda dos  objetos antigos (moveis?) - se você atingi-los com bastante regularidade

- A receita de programas de afiliados - se tal atingir

- As receitas de publicidade, se você tem um blog ou site popular e ganhar a partir de anúncios

Você pode contar separadamente as receitas que você recebe irregularmente. Estes podem ser, em particular:

- Bônus no trabalho (13o salario?)

- Recuperação de imposto de renda

- Dividendos

- Os rendimentos de investimentos em ações e fundos mútuos - é claro, leva em conta apenas após a venda. Neste contexto, são montante real e não teórica, o valor instantâneo de ações ou unidades

O quanto eu gasto

Ganhos é a parte mais fácil e mais agradável do balanço financeiro. O problema surge com a necessidade de coletar todos os custos. Aqui, como no caso da receita, podemos distinguir os custos mensais fixos e os custos irregulares.

Os custos mensais que você deve incluir na declaração, (mínimo).:

- Aluguel

- Taxas de serviços - electricidade, água, gás,

- Impostos

- Alimentos

- Higiene / cosméticos e de limpeza

- Saúde - médicos, medicamentos

- Telefone

- TV a cabo / satélite

- Internet

- Parcelas de empréstimos e créditos

- Seguros - de vida, saúde, imóvel, crédito, etc. - apenas aqueles para os quais pagamos cada mês

- Combustível e Carro

- Bilhetes de transporte público

- Lazer e entretenimento - revistas, esportes, cinema, teatro, livros e outros

- As doações e contribuições

- Os encargos bancários

- Jogos de azar - apostas, jogo do bicho

- Brinquedos

- Educação - das crianças e própria

- Outras despesas incorridas em uma base regular

No caso das despesas irregulares, incluem apenas os custos que não são pagos mensalmente, em especial:

- Seguro pago uma vez ou várias vezes por ano

- Inspeção e reparação automóvel

- Cursos dos filhos próprios e - quando elas são irregulares

- Roupa - digite o valor total por ano

- Férias - Planeje o quanto você pretende gastar com isso e insira o valor total

- Outros serviços - por exemplo: se você alugar um apartamento, você pode ter que pagar a comissão para o agente, etc.

- Equipamentos e eletrodomésticos

- Computadores, Software e outros custos de tecnologia

- Impostos irregulares

- Presentes - digite o valor total que você pretende gastar em todos os presentes durante todo o ano

- Custo de recepções

- Outras despesas planejadas e não planejadas - perdidos em fábricas, espaço vazio, doações ocasionais, taxas adicionais, etc.

Você não pode subestimar o impacto dos custos irregulares em custos médios mensais. Por exemplo, se você pretende gastar R$ 8400 por férias, você deve aumentar o seu custo mensal de cerca de 1/12 desse montante, ou R$ 700. Como você pode ver, o custo de irregular pode ter um impacto significativo em nossos custos médios mensais. Ao mesmo tempo, a decisão "não vou para férias neste ano" pode reduzir o fardo do nosso orçamento mensal de algumas centenas de Reais.

Quanto posso poupar por mês? Minha renda menos meus custos

Uma vez que sabemos as nossas receitas e despesas, então temos todos os dados necessários para calcular a quantidade que você pode salvar. Se as receitas agregadas são mais elevadas do que os custos, isso significa que todos os anos nós ganhamos mais do que gastamos. Mesmo que os nossos rendimentos sejam irregulares e em alguns meses fiquemos "abaixo da linha" (no vermelho).

Nesta base, é possível calcular um parâmetro financeiro muito importante - coeficiente que mostra qual a porcentagem de seus ganhos mensais podem ser gastos em poupança. Se a relação é mais de 10%, isso significa que você está em boa situação financeira e tem o potencial de criar uma base financeira sólida. Você apenas tem que mostrar um pouco de disciplina para começar a acumular o excedente, em vez de gastá-lo sobre o consumo.

Plano de redução de custos

Se os seus custos são mais elevados do que as receitas, você pode ver que é hora de começar a ter mais firmeza com as suas finanças. Quanto mais cedo, melhor.

Com base na sua declaração financeira pessoal você pode desenvolver um plano individual para reduzir custos. Você não tem que inventar nada complicado. Com apenas alguns passos simples:

- A qualquer custo, pense se você tem uma idéia de como cortar e qual é a quantidade que você pode baixá-lo. Você pode descrever esse valor em uma coluna separada (valor-alvo)

- somar todas as economias na declaração anual e mensal - veja como todas as pequenas restrições permitir-lhe atingir a liberdade financeira em um espectro mais amplo. Tal ponto de vista é uma grande fonte de motivação - tão necessário para a implementação dos planos de austeridade

- Certifique-se de salvar a data a partir de quando você está indo para reduzir o custo. Neste momento haverá um trabalho de motivação para você. Este é também o momento para verificar o impacto no orçamento familiar - toda boa demonstração financeira permite avaliar a eficácia do projeto original

- Deixe espaço para comentários, onde você pode anotar uma descrição de como você vai levar a uma redução do custo. É o seu plano de ação rápida. Se você não consegue descobrir como reduzir um determinado custo, muito provavelmente você não conseguir fazer isso. A poupança é um jogo difícil e duro e não tem lugar para o pensamento optimista „Não importa o que, vai ficar bem”

Por favor, lembre que todos o relatórios financeiro são para planejar a reduções dos custos. Não tente se enganar - isso não faz sentido nenhum.

O que agora?

Quando você começa a realizar um relatório financeiro não se preocupe se você não sabe todos os valores exatamente. Pelo menos colocá-los em ordem de magnitude.

O primeiro documento com certeza não será perfeito. Não se preocupe - você fez o primeiro passo no caminho para controle de suas finanças pessoais. A partir de agora, você pode avançar para as medidas sistemáticas de  como categorizar suas despesas regulares.

Se você já sabe o quanto você poderia economizar todos os meses, pensar sobre onde esta este dinheiro. Se esta na sua conta, muito bem. Se, no entanto, desaparece de uma forma não especificada, certifique-se de incluir todas as despesas na demonstração financeira. Lembre-se que você está fazendo isso só para si mesmo.

Soma

Algumas palavras no final deste longo artigo:

- Prepare um demonstrativo financeiro de acordo com as orientações do presente artigo. Seja honesto. Na pior das hipóteses, você vai aprender sobre si mesmo o que você já sente inconscientemente - que você não tem controle sob o seu dinheiro.

- Comece a recolher todas as contas, depois de ser capaz de categorizar e analisá-los. Para mais informações consulte aqui

- Se você se lembrar de qualquer despesa ou receita, o que não é observado em seu balanço financeiro - coloque-la imediatamente

- Pense constantemente sobre como você pode reduzir os custos de forma construtiva. Lembre-se que não se trata de você não comer, mas talvez pode desistir dos alguns gastos desnecessários, ou pelo menos reduzi-los.

- Você está no início do caminho para melhorar o estado de suas finanças. Você deve estar ciente de que um único passo não vai ajudar. Só a sequência de passos vai levar você ao seu destino. Tenha isso em mente e não perda a motivação com inconvenientes ocasionais.